Recuperação de piso de madeira: saiba quando e como fazer

Trocar ou recuperar o piso de madeira, no momento da reforma, é uma decisão que envolve uma série de critérios. “Como profissional que tem preocupação com a sustentabilidade, recomendo que os tacos ou assoalho sejam restaurados.

Mas, se for imprescindível substituir por outro material, é essencial que o piso seja de madeira certificada. Para identificar a procedência do material, há o selo FSC que garante às empresas controle efetivo da madeira”, orienta a arquiteta e mestre Marcia Mikai Junqueira de Oliveira, titular do escritório Pentagrama Projetos em Sustentabilidade.

A arquiteta destaca propriedades que tornam o piso de madeira bem-vindo em praticamente todos os ambientes. “Este é um material natural e recurso renovável, agradável ao tato e isolante térmico”, diz.

 

Raspagem pode impedir recuperação

“A madeira é um material que vale a pena recuperar, exceto quando o piso já foi muito raspado. Após algumas raspagens, as beiradas de encaixe do piso ficam fragilizadas, aumentando a possibilidade de trincas ou quebras das peças”, alerta a arquiteta.

 

Como recuperar o piso de madeira

O primeiro passo da raspagem é o desengrosso, que retira a resina e nivela o piso. Depois são usadas as lixas mais finas para polimento. “Hoje não se usa mais o pó da madeira e cola para a calafetação, que saía muito rápido.

É usada uma massa acrílica da cor do taco ou assoalho, ou colas de poliuretano. Os materiais estão mais duráveis, seguram melhor os tacos, secam mais rápido e trabalham junto com a madeira”, explica.

As resinas também evoluíram: antes, eram mais duras e trincavam com a movimentação da madeira. Agora são usadas as resinas de poliuretanos à base de água. “Essas resinas secam em apenas oito horas e curam no prazo de 24 horas até sete dias, dependendo da resistência – ou seja, quanto mais resistentes ou de altíssimo tráfego, mais rápida é a cura.

Soluções como o sinteco, à base de ureia e formol, ainda estão presentes no mercado. Porém, demoram três dias para secar e até trinta para curar, ou seja, exalam cheiro por todo esse tempo. As atuais não têm cheiro e aceitam retoques”, destaca.

Por se tratar de poliuretano, a resina é flexível, assim como a madeira que movimenta conforme a umidade do ar e a temperatura. As resinas com mais brilho são as mais resistentes, porém, arquitetos e consumidores já há tempos vêm optando pelo tratamento fosco.

 

Cuidados com a recuperação do piso de madeira

  1. Todo piso térreo sofre o impacto da umidade do solo.
  2. Em caso de reforma, especialmente no andar térreo, é preciso que o contrapiso já esteja impermeabilizado. Para a instalação de um piso novo a impermeabilização é feita com resina que o próprio aplicador pode executar.
  3. Na etapa seguinte, os tacos ou assoalho são colados. A cola branca usada no passado para instalar o piso foi substituída pelo poliuretano, com a vantagem da secagem rápida, permitindo a raspagem e aplicação da resina em dois ou três dias contra 20 a 30 dias da cola.
  4. A instalação dos tacos ou do assoalho deve ser feita com uma distância de, pelo menos, 0,5 cm da parede e do rodapé, caso contrário, quando a madeira incha, as réguas vão empurrar umas às outras e encanoar.

Recupere o piso de madeira na Kapor

 

Recuperação de piso de madeira: saiba quando e como fazer

Recuperação de piso de madeira: saiba quando e como fazer

O ato de recuperar o piso de madeira é fundamental para que o mesmo mantenha sua vida útil com extrema qualidade e sua beleza e charme não seja perdido. Mas a recuperação não pode ser feita de qualquer jeito.

Só com a Kapor você consegue recuperar seu piso de madeira com os nossos especialistas, que vão lhe orientar com as melhores soluções para deixar seu piso lindo e bem cuidado. Solicite já o seu orçamento.

 

Fonte (com adaptações): https://www.aecweb.com.br/cont/m/rev/recuperacao-de-pisos-de-madeira-saiba-quando-e-como-fazer_11526_0_1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *